“Redes sociais levam a um jornalismo mais honesto”, defende editor da BBC News

O editor de interatividade e desenvolvimento de mídias sociais naBBC News, Matthew Eltringham, acredita que as redes sociais contribuem com a qualidade do jornalismo, já que expõem o veículo, que passa a receber críticas e sugestões mais diretas.

“As redes sociais levam a um jornalismo mais honesto, porque exigem transparência e prestação de contas”, declarou em debate no 4º Seminário Internacional de Jornalismo Online (MediaOn), nesta quarta-feira (10/11), em São Paulo.

Para ele, é imprescindível atuar nessas redes, já que grande parte da audiência se concentra nelas. “Fizemos uma pesquisa que tem um resultado assustador. Em média as pessoas passam 1 minuto no site da BBC, mas ficam em média 11 minutos no Facebook. Então você tem que estar lá, se não vai perder audiência”.

“Não somos mais donos do conteúdo”


A Publisher do IDG Brasil, Silvia Bassi, atuou como mediadora do debate e enfatizou que agora os jornalistas não são os únicos “donos do conteúdo”. “Os jornalistas precisam começar a carreira com mais humildade porque não são mais os donos do conteúdo”.

“Sempre tem alguém da audiência que sabe mais daquela matéria que você. É um pouco assustador, mas é muito animador. É um processo e nós precisamos fazer parte disso”, emendou Eltringham. Para exemplificar, o editor da BBC News citou casos recentes. “Uso muito o Twitter. Não que o Facebook e Orkut não tenham seu papel. Para o terremoto no Haiti, o Twitter foi o melhor, para o terremoto na Indonésia foi o Facebook, com fotos incríveis. Então você precisa ver esses dois de forma igual”.

No entanto, Eltringham enfatizou o rigor na apuração. “Sempre contatamos a pessoa que postou o conteúdo, conversamos para saber se é verdadeiro, cruzamos informações. Também tem a questão do direito autoral”, lembrou.

Julian Gallo, jornalista argentino especializado em tecnologia e meios interativos, diretor do site Cukmi.com, também é a favor do jornalismo colaborativo.“São pessoas que têm autoridade, talvez até mais que a grande mídia, e as pessoas que são mais humildes conseguem fazer bom uso dessas redes”.

Diploma


Questionados pela plateia sobre a formação em Jornalismo, os dois disseram que são contra a exigência de diploma para o exercício da profissão. “Seria uma decisão errada do Brasil exigir diploma para o Jornalismo. Se fosse assim, o García Márquez não poderia ser jornalista”, disse Gallo.

“Eu concordo. O jornalismo no Reino Unido não exige diploma. Alguns dos melhores jornalistas começaram trabalhando na prática”, afirmou Eltringham.

Fonte: http://www.comunique-se.com.br

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s